Bem-vindos ao Melissa Benoist Brasil, a sua melhor fonte de notícias sobre Melissa Benoist!
Supergirl: entrevista de Katie McGrath para o TVLine traduzida
24.04.2017
postado por Mariana Alecrim na categoria Supergirl

Confira na íntegra a entrevista de Katie McGrath para o TVLine, na qual ela fala sobre o futuro de sua personagem, Supercorp e o que a deixa orgulhosa na série:

“Sinto muito te deixar esperando! Mas eram filhotinhos de cachorro.”

Katie McGrath de Supergirl vem cambaleando pelos cantos em direção ao seu trailer, tendo feito alguns amigos peludos durante o processo de arrumar o cabelo e fazer a maquiagem. Para alguém tão enigmático tanto em cena (seria Lena tão diferente de Lex?) quanto fora dela (por que ninguém sabe sua data de aniversário?), a atris irlandesa é muito calorosa e hospitaleira, verdadeiramente ansiosa para fazer sua primeira entrevista depois de sua estréia na série no outono passado.

McGrath levou o TVLine num rápido tour em seu iPhone dos cachorrinhos que ela tinha acabado de brincar (acompanhado de alguns comentários sobre cultura canina), e depois sentou-se para um  confortável Perguntas & Respostas. Algumas semanas depois, ela estaria recebendo a promoção de manter-se regular para a terceira temporada, notícias que lhe trouxeram muita animação, considerção sua girl crush pela senhorita Luthor, detalhados abaixo.

Antes de tudo, conte-me sobre as gravações de hoje.

As gravações de hoje? Estamos no episódio 2.18, então é uma história com Rahul (Kohli) de iZombie. Ele interpreta Jack Spheer, que é um interesse romântico para moi.

Mas o Jack é ex da Lena, certo?

Sim, mas se há um ex, ainda existe [num gesto dramático com as mãos] algo no ar, sabe? Estávamos juntos por um tempo. Eu me sinto tão privilegiada por pensarem tanto na minha personagem que me deram um homem muito atraente para brincar em um episódio.

Parece um grande episódio para você.

E é, na verdade. O que é legal nisso é que você já está entendendo um pouco de toda a minha trama  como personagem. Não andam tendo muitas histórias para Lena além dela ser uma Luthor e das coisas relacionadas aos seus familiares.

Parece que sempre volta para a mãe dela.

Exatamente. Ou para o irmão dela… essas coisas todas. E isso é separado daquilo, o que é ótimo. Dá mais ideia sobre quem ela é como pessoa, ao invés de mostrá-la como parte daquela família.

Mas enquanto Lena está com Jack, Kara vai investigar um deles…? 

Houve o lançamento de alguma nova tecnologia que, para Kara, parece suspeito e estaria conectado com algo bastante covarde. Ela é encarregada de investigar isso, de um lado, porque jornalisticamente ela acha isso interessante. E por outro lado, ela tem que investigar porque ela está preocupada comigo como amiga dela. Então tem dois lados de uma mesma coisa.

Então você acha que Kara e Lena são amigas?

Elas são tipo melhores amigas.

É sério?

Sim! Sim! Veja bem, todo mundo tem uma ideia que… é sempre difícil interpretar uma personagem que todo mundo acha que sabe qual é o destino. As pessoas estão convencidas que ela seguirá os passos de Lex.

Eu não. Mas ambas parecem diferentes uma da outra.

Não, mas elas são assim como qualquer outra pessoa. Você nunca teve problemas com seus amigos? Mas eles sempre voltam pra você, sabe, existe um respeito mútuo de um para com o outro.

Como poderia a investigação da Kara tornar-se isso?

Eu não posso dizer o final. [Risos] Mas tivemos trabalhando em 18 episódios construindo a amizade das suas, e isso não será destruído em um episódio. Essa é uma das coisas que mais me deixa orgulhosa desta série, e eu não achei que daria nisso, porque quando eu entrei, era para apenas alguns episódios. E a amizade foi aos pouquinhos, bem verdadeiramente, eu acredito, construída com o passar da temporada. Demos duro nisso e estou feliz que elas tenham levado um tempo para chegar nisso, e manter isso.

Você estava falando como tudo sempre volta para a mãe da Lena ou para toda a coisa Luthor, mas teria algo maior para ser revelado? Teria Lena um esquema próprio que ninguém ainda percebeu? 

Acho que não. Acho que Lena é muito genuína. O que você vê é a verdade com ela. Ela está dando o seu melhor  honestamente, e é honestamente uma boa pessoa. Não que outras pessoas a tenham como problema, porque ela é a chefe da empresa, ela têm todos os outros relacionamentos que as pessoas podem manipular – como a mãe dela – e entrar nessas situação que… uma pessoa normal não entraria na cadeira por isso, sabe, Cadmus com armas de laser verde gigantes! Isso não acontece com pessoas que não são Luthors, mas é a maneira como Lena reage, que é diferente do restante da família, o que a torna tão interessante de ser interpretada. A gente acha que ela “será uma Luthor” em algumas situações, mas ela acaba por surpreender, o que eu acredito torná-la uma personagem interessante de assistir – e definitivamente interessante de interpretar.

Então, ao final da temporada ela não vai soltar uma risada maníaca e dizer “finalmente, Projeto Leviathan pode ser revelado!”?

Sabe, ela poderia! Eu ainda não li o final da temporada, então tudo é possível. [Risos] Ela poderia decidir se mudar para uma lua gigante feita de queijo. Nesse ponto, quem sabe!

Com quem mais você tem trabalhado além de Melissa?

Além de Melissa? Com Rahul. Tenho trabalhado com a Brenda [Strong], minha mãe, que é maravilhosa.

E alta.

[Acena com a cabeça] Deus. Mas é, tipo, perfeito, elegante em proporção. [Deslizando as mãos da cabeça aos pés] Ela é tipo uma dançarina. É inacreditável. E depois eu apareço como uma batata irlandesa toda, “Isso é demais. Eu com certeza não sou sua filha.”

Você andou trabalhando com Jeremy Jordan? Vocês dois têm cenas divertidas.

Não tenho trabalhado com ele desde o nosso encontrinho debaixo dos palcos. É engraçado porque eu pareço brincar com esses personagens, geralmente, que estão fora da história principal. A maior parte das minhas coisas é com a Melissa, o que é bem legal, e sempre parece ser algo real das personagens… Nós sentando conversando sobre coisas que são importantes…

E sempre são aprovadas no teste de Bechdel.

Sim! Exatamente. Aprovadas mesmo. São cenas de duas mulheres mesmo, entende? E isso é raro, geralmente, do que se vê na TV. Eu acho que é por isso que esse relacionamento tem a aten~çao de tantas pessoas – e por isso que eu amo interpretá-lo.

Falando de Kara e Lena, o que você acha de “Supercorp”? Você não anda pelo Twitter…

Não estou no Twitter, mas me contaram sobre.

Como uma pessoa que não está no Twitter sabe sobre isso?

Bom, Melissa me contaria, ou qualquer outro no set. Meu irmão já mencionou algumas vezes.

Você se lembra da primeira vez que ouviu isso, ou de quem foi?

De quem eu ouvi isso? Eu não poderia te dizer… Acho que foi Melissa, na verdade, a primeira que me contou sobre isso. Eu já interpretei algumas personagens que eram gays ou que já tiveram algumas interpretações gays, e para ser muito honesta, esta foi a primeira vez em que eu estava tipo, “Bom, esse papel não tem nenhum!” Você está rindo agora – quão inocente eu fui? E logo depois do primeiro episódio… Eu voltei e assisti e fiquei meio, “Ah, sim, eu consigo ver isso agora. Faz sentido para mim.”

No aniversário Buffy, eu li uma entrevista na qual Joss Whedon falou sobre pessoal que veriam lésbicas entre suas personagens femininas e sua primeira interpretação foi “Do que vocês estão falando?”. Mas quando ele parou para analisar, ele ficou todo “Ahhh, sim.”

É engraçado porque é tão óbvio quando você está encenando. Você, têm as personagens e de repente você percebe, “Ah, sim, eu sei o que vai acontecer.” E depois há momentos em que… e [com Lena/Kara] honestamente, nunca passou pela minha cabeça. Mas as respostas dos fãs te fazem voltar e você percebe, “Ah sim, eu vejo de onde isso veio.” Não me incomoda de jeito nenhum. Não foi a nossa intenção. É o que os escritores querem, e os diretores, e depois as pessoas interpretam tudo. Significa que nossas personagens não estão em apenas uma dimensão, elas funcionam em diversos níveis.

Você está aguçando a imaginação das pessoas. Você quer fazer isso com uma personagem.

Exatamente. Claro, faz você se sentir muito bem sabendo que está trabalhando muito bem.

Quem seria o seu sonho para interpretar Lex? Se Katie McGrath pudesse escolher qualquer um para interpretar Lex num episódio.

Um episódio? Bruce Willis, o careca mais maravilhoso e bonitão que já existiu.

Acabei de vê-lo no final de Fragmentado.

Certo? Ele não estava delicioso? Ele é delicioso. Seria um bom Lex.

Se pudesse aconselhar Lena, o que diria? 

“Continue fazendo o que está fazendo. Não pare. Não duvide de si nem por um segundo.” Ela é honesta, verdadeira com Kara, verdadeira com os amigos, está fazendo o seu melhor… Ela está tentando, mesmo com as pessoas pensando diferente dela, e todas essas expectativas que as pessoas têm, ela está desafiando todos.

Você está apaixonada pela Lena.

[Levantando uma sobrancelha] Você não?  [Risos] Só existe uma resposta para isso, e ela seria, “Sim, Lena é uma badass.” 

%d bloggers like this: