Bem-vindos ao Melissa Benoist Brasil, a sua melhor fonte de notícias sobre Melissa Benoist!
Melissa diz que cenário político atual torna Supergirl mais importante
04.04.2017
postado por Mariana Alecrim na categoria Entrevistas

Albert Ching, do CBR, fez uma breve entrevista com Melissa na qual correlaciona a simbologia de Supergirl e o cenário político em que os estadunidenses se encontram. Confira a matéria da íntegra traduzida:

Em janeiro deste ano, milhares tomaram as ruas em diversas cidades ao redor do mundo para a Women’s March, que aconteceu no dia seguinte a inauguração presidencial de Donald Trump, como um ato de suporte sobre os muitos problemas que as mulheres encaram dentro da sociedade. Dentro de todos os cartazes expostos naquele dia, um dos mais memoráveis foi o da estrela de “Supergirl“, Melissa Benoist, e a mensagem que ela trouxe escrita e exibia orgulhosamente durante a caminhada em Washington D.C.: “Ei, Donald. Não tente agarrar a minha vagina – ela é feita de aço.”
O cartaz – uma referência ao altamente divulgado e condenado áudio de Donald Trump em 2005 para o Access Hollywood que surgiu durante sua campanha em 2016, no qual ele gabava-se ao dizer que sua fama lhe deu a permissão de “agarrar mulheres pela vagina” – ajudou ainda mais a Benoist ser identificada como uma voz forte para mulheres, muito além do seu famoso papel na série da CW inspirada nos quadrinhos da DC Comics. Como ela contou para o CBR no início deste mês no tapete vermelho em Hollywood, antes do seu painel na PaleyFest, o complicado desenrolar dos atuais fatos fizeram o seu papel ter um significado ainda mais importante.
“Definitivamente tornou-se mais importante para mim, especialmente naquele dia,” Benoist disse para o CBR. “Eu sempre tive uma sensação de responsabilidade para com jovens mulheres e meninas ao interpretar esse papel, e de ser uma boa influência, e representar força e coragem, e ‘fé, ajuda e compaixão’, que é o lema de Supergirl. Estar naquela caminhada acendeu essa chama em mim, digamos assim.”
Embora “Supergirl” permaneça firmemente emaranhada num cenário bastante ficcional – a presidente na série é Olivia Marsdin, interpretada por Lynda Carter – os episódios recentes lidaram com problemas do mundo real da sua maneira, principalmente os sobre a campanha de Cadmus para livrar a terra dos alienígenas, como um claro paralelo aos direitos de imigrantes.
“É uma espécie de espelho da vida real o que andamos fazendo com Cadmus e suas ideias aterrorizantes,” Benoist disse. “Eu tenho muito orgulho dos nossos escritores por fazerem isso. Espero que continuemos.”
Além disse, em seu papel-humano como Kara Danvers, Supergirl também é uma repórter, e Benoist tem conhecimento sobre a importância desse trabalho na era das fake news.
“Kara é jornalista, e a mídia agora é necessária para que honestidade e verdade aconteçam,” Benoist disse. “Então Kara está tendo uma grande parte nisso. Snapper Carr (Ian Gomez), também.”

%d bloggers like this: